Principal >> Blog >> alivio das tensões >> Febre amarela: sintomas, tratamento e prevenção

Febre amarela: sintomas, tratamento e prevenção

 

Febre amarela e seus sintomas, tratamento e prevenção

O que é a febre amarela? A febre amarela é uma doença infecciosa grave. Transmitida ao homem pela fêmea do mosquito “Aedes Aegypti” transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya. Os casos de febre amarela são classificados como febre amarela silvestre ou febre amarela urbana
O que explica o atual surto de febre amarela?
Algumas condições climáticas e ambientais favorecem estes surtos. Com a destruição de ambientes naturais, o ciclo deixa de se manter apenas na floresta. Infelizmente, temos em abundância o vetor da forma urbana – o Aedes aegypti –por isso permanece a preocupação em evitar que a febre amarela seja reurbanizada.
Ciclo da doença. Quais os seus sintomas. Febre alta, fortes dores de cabeça, problemas no fígado e hemorragias), calafrios, cansaço, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias.
Quando se espalha pela corrente sanguínea, a pessoa fica com uma cor amarelada na pele e também nos olhos.
A febre amarela não é contagiosa. Se não tratada rapidamente, a febre amarela pode levar à morte em cerca de uma semana.
Vacinas:
Você já foi imunizado contra a febre amarela?
A principal medida de prevenção contra a doença continua sendo a vacinação, além do controle do vetor. Para adultos que nunca tenham recebido nenhuma dose, a orientação é tomar a vacina e garantir o reforço após 10 anos da primeira imunização. Somente a segunda dose garante a proteção vitalícia contra a doença. Como evitar a febre amarela? A única forma de evitar a doença é através da vacinação, que está disponível gratuitamente durante todo o ano e deve ser reforçada a cada 10 anos.
Além disso, como os vetores de ambas as formas são mosquitos, não podemos nos esquecer de tomar as medidas preventivas para seu controle.
“O uso de produtos naturais não substitui a orientação médica ou qualquer tipo de tratamento.” Visite o seu médico regularmente e faça um plano de saúde.”