Principal >> Blog >> Dicas da ANS >> Projeto Sua Saúde

Projeto Sua Saúde

 

Projeto Sua Saúde

Sua Saúde é um projeto da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para estimular uma participação mais proativa de pacientes e usuários do sistema de saúde em relação à tomada de decisão em saúde. É uma iniciativa focada na informação de qualidade compartilhada com os outros responsáveis pelo seu cuidado (médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde).
Com a iniciativa, a ANS passa a disponibilizar um conjunto de orientações e perguntas importantes para que o paciente realize uma boa consulta com o profissional de saúde e obtenha as informações relevantes relacionadas ao cuidado em saúde.

Sobre o Projeto

Sobre o Projeto Sua Saúde

O projeto Sua Saúde nasceu da participação de representantes de pacientes em fóruns constituídos pela ANS e é inspirado em experiências como a Slow Medicine, o Talking to your Doctor (NIH/EUA), o programa NHS Choices e a iniciativa Connecting to patients and people who use services estes últimos do governo do Reino Unido.

A iniciativa também surge no contexto de ações em andamento na ANS voltadas à indução da qualidade do setor, intensificadas a partir de 2014 com a proposição de cinco eixos prioritários: Oncologia (Projeto OncoRede); Cuidado ao Idoso (Projeto Idoso Bem Cuidado); Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME); Odontologia (Projeto Sorrir); e Atenção ao Parto e Nascimento (Parto Adequado).

Participantes do Grupo Técnico

O material do projeto Sua Saúde foi construído com o apoio de um Grupo Técnico (GT) formado e coordenado pela ANS. Confira abaixo os participantes do GT Sua Saúde:

– Aliança para a Saúde Populacional (ASAP)
– Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (ABRALE)
– Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV)
– Associação Médica Brasileira (AMB)
– Banco Safra
– Conselho Federal de Farmácia
– Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP)
– Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT/FIOCRUZ)
– Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/FIOCRUZ)
– Gama Saúde
– Grupo AMIL
– GVSaúde/FGV-EAESP
– Hospital Israelita Albert Einstein
– Hospital Pró-Cardíaco
– Hospital Sírio-Libanês
– SindLab – Sindicato dos Laboratórios de Minas Gerais
– Sociedade Brasileira de Cardiologia Intervencionista
– Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)
– Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN)
– Sociedade Brasileira de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial (SBPC/ML)
– Unimed BH
– Benefícios
– Benefícios do Projeto Sua Saúde

Conheça os principais benefícios do projeto para o paciente e para o responsável pelo cuidado.

Para o paciente

Coloca o paciente como elemento ativo e corresponsável do cuidado
Aumenta o bem-estar e a segurança do paciente
Potencializa resultados benéficos do tratamento e possibilita uma melhor evolução do paciente
Melhora a confiança do paciente em relação aos demais participantes do seu cuidado, incluindo o profissional médico

Para quem cuida do paciente

Maior adesão do paciente ao tratamento, com mais probabilidade de obtenção de bons resultados
Fidelização do paciente ao profissional de saúde
Diminuição do risco de entendimento equivocado das prescrições e recomendações
Maior satisfação do profissional de saúde com sua prática clínica

Comunicação entre o Paciente e o Profissional de Saúde

Estudos nacionais e internacionais têm demonstrado que a comunicação médico-paciente é o componente principal do cuidado em saúde. Mas o avanço da tecnologia médica, o fenômeno da hiper-especialização do conhecimento e os tempos curtos de consulta podem ter contribuído para ampliar o distanciamento e criar formalidade no trato entre profissional e paciente.

A abordagem centrada no usuário e focada na experiência do paciente cresce em diferentes sistemas e serviços de saúde no mundo. A comunicação efetiva tem sido apontada como fonte indispensável à motivação, incentivo e suporte a todas as etapas do cuidado em saúde, que vai desde o diagnóstico ao tratamento e percorre dimensões importantes, como os cuidados de transição e cuidados paliativos. Os profissionais de saúde devem estar preparados para se adequar a este novo padrão relacional com os doentes e a estimulá-lo.

Como pacientes e profissionais de saúde podem construir juntos uma comunicação efetiva que seja boa e auxilie a ambos?

De modo geral, quem procura atendimento em saúde encontra-se com algum desconforto. Isto já traz à cena inseguranças, receios, expectativas e muitas dúvidas que os profissionais de saúde precisam estar preparados para manejar e acolher.

É muito importante que usuários do sistema de saúde saibam que é esperado que façam perguntas e procurem melhor compreender o que se passa na presença de algum problema de saúde. Muitas vezes por dúvida, desconhecimento, vergonha ou ansiedade, os pacientes não indagam sobre sua condição de saúde quando numa consulta médica ou com qualquer outro profissional de saúde (enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, etc.).

Enquanto alguns pacientes são bastante proativos durante uma investigação diagnóstica ou um tratamento, outros não sabem ao certo o que perguntar, quando e como. Mas todos podem aprender. Nosso papel é procurar orientá-los da melhor maneira possível. Podemos encorajá-los a uma maior participação no cuidado com sua saúde. Devemos informá-los, por exemplo, que eles podem levar anotadas em um papel, no celular ou no computador, as suas dúvidas. Também podem e deveriam anotar as orientações mais importantes que o médico lhes passou, como medicamentos a utilizar, exames a fazer e precauções a tomar, dentre outros.

Fonte de Pesquisa: Material retirado do Site da ANS